Esconderijo inviolável

Um antigo fidalgo possuía uma enorme fazenda, onde havia uma grande reserva florestal. Contudo, também nas proximidades do seu castelo encontravam-se muitas árvores cultivadas. Entre elas estava uma muito especial, por conter algo de extraordinário valor aquisitivo ali escondido, no interior do seu tronco espesso. Aconteceu assim: Encadeou-se uma forte perseguição, que o envolveu diretamente, e chegou o dia quando então aquele fidalgo precisou fugir, deixando o seu castelo acolhedor e tudo quanto tinha acumulado naquela fazenda.
Não houve tempo para a tomada de grandes medidas antes da fuga, mas, temendo que os inimigos descobrissem o
seu mais valoroso tesouro, colocou-o numa caixa de metal, entregando-a a um criado de absoluta confiança para o esconder em um lugar seguro. Era grande demais tal responsabilidade e o pobre criado ficou muito preocupado, sem saber com exatidão qual seria o melhor lugar para se esconder um tesouro de tamanho valor. À procura de uma idéia salvadora, andava ele de um para outro lugar, entre as árvores do jardim. De repente ele viu, no tronco de um carvalho ainda em formação, uma brecha onde caberia aquela caixa preciosa. Buscou-a e com um instrumento cortante aprofundou um pouquinho mais a abertura e ali depositou o tesouro, que permaneceu fora do alcance dos olhos de quem quer que por ali passasse. Os meses e os anos foram passando e o carvalho tornou-se grande e frondoso. A criançada da redondeza muitas vezes se agrupou debaixo dele para correr, trepar nos seus galhos e
desfrutar do frescor natural oferecido por sua sombra. Embora fosse esse o lugar preferido para brincar,
nenhuma criança jamais descobriu o seu grande segredo!!! Afinal, transcorridos muitos anos, o fidalgo voltou.
Velhinho e alquebrado, contudo, ele desejou reaver o seu tesouro precioso.
Chamou o velho criado, já quase cego, e caminharam os dois lentamente para o jardim. Chegaram ao pé
do carvalho e já não havia mais a reentrância no seu tronco. O fidalgo ordenou que fosse cortado o carvalho. Quando ele tombou, foi retirada do seu interior a caixa contendo o seu mais valioso tesouro, que por tanto tempo ficou ali escondido. Abrindo-a, lá estavam, intactas, as jóias mais raras que brilhavam à luz do sol! A Palavra de Deus, guardada cuidadosamente nos corações, reflete o mais intenso brilho através dos nossos gestos e ações, praticados em favor do nosso semelhante. "Escondi a tua Palavra no meu coração, para não pecar contra ti" (Salmos 119.11).